BLOG

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Colagénio - A Proteína Esquecida


O Colagénio é dos suplementos alimentares mais apreciados pelo público feminino e essa popularidade deriva das suas comprovadas propriedades anti-rugas (1, 9), já que pele (que é o nosso maior órgão) tem no colagénio o seu principal componente. Mais do que apenas a nossa pele, o colagénio é a proteína mais abundante do Reino Animal.

O Colagénio é uma fonte de aminoácidos não essenciais: glicina, prolina e lisina e que é altamente digerível, absorvido e distribuídos nos diferentes tecidos do corpo humano. (2)
Pelo facto do colagénio ser constituído por aminoácidos não essenciais, ou seja, por aminoácidos que o nosso corpo pode sintetizá-los a partir de outros, e depois usá-los para produzir o nosso próprio colagénio, isso não quer dizer que não beneficiamos com um aporte directo na nossa dieta, já que a síntese de colagénio diminui com o avanço da idade (3) e o nosso corpo é incapaz de produzir glicina, em quantidades que satisfaçam as nossas necessidades diárias de síntese do colagénio. Isso mesmo é referido neste estudo "a glicina é um aminoácido semi-essencial e que deve ser tomado como um suplemento nutricional para garantir um metabolismo saudável." (4)
Mas o Colagénio é muito mais que um suplemento que serve para manter a pele com aspecto saudável, já que:
- Mostra-se um excelente aliado para evitar a perda de força e sarcopénia em homens idosos (5)
- Num estudo com a duração de 24 semanas, a intervenção dietética com Colagénio mostrou-se eficaz em reduzir a dor articular em Atletas (6.)
- Melhora a qualidade de sono (7)
- Pode ser um agente terapêutico com potencial utilidade no tratamento de Osteoartrite e Osteoporose, com a vantagem de ser seguro mesmo usado a longo prazo (10)
Os suplementos alimentares devem servir para nos adaptarmos melhor ao mundo moderno onde vivemos, onde o estilo de vida e os hábitos alimentar são cada vez mais diferentes do que aqueles que tivemos durante a maior parte do tempo da nossa existência como seres humanos.
Num ambiente ancestral, não precisaríamos de um suplemento como o Omega-3. Mas, para o estilo de vida actual e dieta ocidental, a resposta provavelmente será: SIM, para a larga maioria da população.
Num ambiente ancestral, não precisaríamos de um suplemento como a Vitamina D-3. Mas, para o estilo de vida actual e dieta ocidental, a resposta provavelmente será: SIM, para a larga maioria da população.
Num ambiente ancestral, não precisaríamos de um suplemento como a Vitamina K-2. Mas, para o estilo de vida actual e dieta ocidental, a resposta provavelmente será: SIM, para a larga maioria da população.
Num ambiente ancestral, não precisaríamos de um suplemento como os Probioticos. Mas, para o estilo de vida actual e dieta ocidental, a resposta provavelmente será: SIM, para a larga maioria da população.
O caso do Colagénio está inserido nestes casos!
Actualmente somos uma sociedade onde abunda o desperdício e que vive na abundância já que apenas comemos a parte muscular dos animais que nos servem de alimentos e deitamos fora tudo o resto que durante milhares de anos sempre aproveitamos (pele, ossos, articulaçãoes, ligamentos, vísceras) para nos nutrirmos e que inclusivamente, na natureza, contínua a não ser desperdiçado. 
Deixamos de comer a pele, que é uma fonte importante de colagénio, por ser rica em gordura (ainda o demónio das "dietas" ricas em gordura a fazer das suas!), deixamos também de comer as Vísceras, os Ossos (por exemplo através do aclamado, pela cultura paleo, caldo de ossos!), e que pode fazer parte de uma estratégia para melhorar a saúde óssea e cardiovascular como é referido neste estudo que tantas vezes aqui já publicamos: "Nutritional strategies for skeletal and cardiovascular health: hard bones, soft arteries, rather than vice versa" (8).

Caldo de Ossos, fonte natural de Colagémio.
Posto isto poderemos e deveremos ter no Colagénio, um suplemento ou um alimento a ter em conta

GOOGLE +
←  Anterior Proxima  → Página inicial